sábado, 27 de novembro de 2010


Definir a música não é tarefa fácil porque apesar de ser intuitivamente conhecida por qualquer pessoa, é difícil encontrar um conceito que abarque todos os significados dessa prática. Mais do que qualquer outra manifestação humana, a música contém e manipula o som e o organiza no tempo. Talvez por essa razão ela esteja sempre fugindo a qualquer definição, pois ao buscá-la, a música já se modificou, já evoluiu. E esse jogo do tempo é simultaneamente físico e emocional. Como "arte do efêmero", a música não pode ser completamente conhecida e por isso é tão difícil enquadrá-la em um conceito simples.

A música também pode ser definida como uma forma linguagem que se utiliza da voz, instrumentos musicais e outros artifícios, para expressar algo à alguém.





mais uma da serie quando não há nada para fazer escrevo:

Não sei o quanto esperar, talvez em alguma hora vai passar.Em inércia viajaremos na positividade esperando uma possibilidade de ainda existir o amor.
Quero ser poeta, quero ser cantor, mas só choro por amor.Sem ingenuidade e pudor somente você traz a dor, e na espiral do ser, com o mais puro enrolar dos olhares me diz que são inversas nossas polaridades.

autor: Rafael Holanda de Brito

Jorge Vercillo - arco iris